Inhambu Chitão e o Xororó

05:11 Postado por Geremias Pignaton



O da foto acima é o inhambu xororó e o de baixo é o inhambu chitão. São aves pertencentes à ordem Tynamídea, família Tynamídea, ao mesmo gênero Crypturellus. São, portanto, muito confundidas, por serem muito parecidas. O xororó é menor, cerca de 18 cm, e o Chitão, um pouco maior, cerca de 21 cm. O xororó é mais avermelhado, o chitão mais acinzentado, com a traseira meio pedrês, o que lhe valeu o nome por parecer, aos olhos dos matutos interioranos, com o estampado de um pano de chita. Fêmeas e machos quase não se diferem, sendo os machos menores nas duas espécies, como acontece com todas as aves dessa ordem: macucos, perdizes, jaós, codornas e inhambus. Os nomes científicos são respectivamente, Crypturellus parvirostris e Crypturellus tataupa. O xororó vive em quase todo o Brasil e em vários países da América do Sul. O Chitão vive mais na faixa litorânea, chegando a Paraguai, Uruguai e Argentina. Aqui no cerrado, encontramos muitos xororós. Na Chácara onde moro, antes do anoitecer, escuto muitos piarem. O Chitão não temos por aqui. Em Ibiraçu, nos capoeirões, ouvimos seus piados, mais frequentes no início e no final do dia. Fêmeas e machos piam de forma diferente. Para ouvirem o xororó http://www.xeno-canto.org/browse.php?query=crypturellus+parvirostris e para ouvirem o xitão http://www.xeno-canto.org/browse.php?query=crypturellus+tataupa
Abaixo vai a letra da música Inhambu Chitão e o Xororó que foi imortalizada na interpretação da dupla caipira Tonico e Tinoco e que inspirou o nome de outra dupla sertaneja famosa, Chitãozinho e Xororó.

Eu não troco meu ranchinho
Amarradinho de cipó
Por uma casa na cidade
Nem que seja bangalô.
Eu moro lá no deserto,
Sem vizinho eu vivo só
Só me alegra quando pia
Lá praqueles cafundó
É o inhambu-xitã e o xororó
É o inhambu-xitã e o xororó
Quando rompe a madrugada,
Canta o galo carijó
Pia triste a coruja,
Na cumeeira do paiol
Quando chega o entardecer,
Pia triste o jaó
Só me alegra quando pia
Lá praqueles cafundó
É o inhambu-xitã e o xororó
É o inhambu-xitã e o xororó
Não me dou com a terra roxa,
Com a seca larga o pó
Na baixada do areião,
Eu sinto um prazer maior
Ver a rolinha no andar,
No areião faz caracol
Só me alegra quando pia
Lá praqueles cafundó
É o inhambu-xitã e o xororó
É o inhambu-xitã e o xororó
Eu faço minhas caçadas,
Antes de sair o sol
Espingarda de cartucho,
Patrona de tiracolo
Tenho buzina e cachorro,
Pra fazer forrobodó
Só me alegra quando pia
Lá praqueles cafundó
É o inhambu-xitã e o xororó
É o inhambu-xitã e o xororó
Quando sei de uma noticia,
Que outro canta melhor
Meu coração dá um balanço,
Fica meio banzaró
Suspiro sai do meu peito,
Que nem bala jeveló
Só me alegra quando pia
Lá praqueles cafundó
É o inhambu-xitã e o xororó
É o inhambu-xitã e o xororó

6 comentários:

  1. Corvo Campeiro disse...

    Sei que não é o foco,mas uma vez que citou a música, na minha opinião deveria ter citado os compositores:
    Athos Campos e Serrinha.

  2. Devagar e Sempre disse...

    Prezado Gerê

    Que vem a ser a tal de "bala jeveló"?

    Um abraço

    Guaiamum

  3. Geremias Pignaton disse...

    Caro Guiamum, não sei. Entretanto, deduzindo a partir do contexto da poesia, acho que é um tipo de munição de arma de fogo, um tipo ou uma marca de projetil da época.

  4. Devagar e Sempre disse...

    Prezado Gerê

    Valeu pela informação!

    Abraço

    Guaiamum

  5. Robson Brock disse...

    Senhor Pignaton, boa tarde.

    É muito interessante este post.
    Acredito que o segredo da nossa evolução está em saber pequenas coisas como estas.

    Obrigado

  6. Cultura Caipira Blog disse...

    Olá a todos, boa tarde! Fizemos a análise da letra dessa música em nosso blog, gostaríamos da opinião de vocês.

    http://www.culturacaipira.com/musica-chitaozinho-e-xororo-por-chitaozinho-e-xororo/

    Grande abraço!